Invocar para enriquecer-se de Deus.

INOVCAR.png

“Pois não há distinção entre judeu e grego, uma vez que o mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam” (Romanos 10:12)

A palavra que precisamos não é apenas a que está na esfera judicial; precisamos ouvir o que o Senhor fala conosco de maneira viva. Em Seu ministério terreno, o Senhor teria um tempo limitado, somente três anos e meio, e não conseguiria falar tudo o que queria. Por isso disse que, depois de Sua morte e ressurreição, Ele enviaria o Espírito da realidade que os introduziria a toda realidade e os faria lembrar de tudo o que Ele dissera (Jo 14:17, 26).
Muitas vezes recebemos a Palavra em forma de doutrina. Podemos dizer que a palavra lógos, a palavra constante do Senhor, precisa tornar-se rhêma, a palavra instantânea do Senhor, isto é, o Senhor precisa falar de maneira viva a cada um de nós. Quando a palavra lógos se torna rhêma, a nossa vida cresce. As igrejas necessitam da palavra instantânea que o Senhor nos fala, da palavra rhêma.
João tomou esse encargo. Ele sabia que para ter vida o homem deve viver pelo Espírito. Além de desfrutar a Palavra como vida, invocar o nome do Senhor nos conduz a viver no Espírito. Invocar o Senhor deve tornar-se parte do nosso viver, assim como comer, beber e respirar. Hoje nós praticamos o invocar do nome do Senhor como parte do nosso viver. Visto que já não adoramos ídolos mudos, invocar o nome do Senhor torna-se algo prático, espontâneo e cheio de vida para nós (cf. 1 Co 12:2-3). Invocar o nome do Senhor não deve ser algo forçado; antes, deve ser espontâneo em nosso viver.
Paulo já havia ensinado acerca de invocar o nome do Senhor. Romanos 10:12-13 diz: “Pois não há distinção entre judeu e grego, uma vez que o mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam. Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”. Deus é rico para com todos os que O invocam. Invocar o nome do Senhor não é somente para conversão, mas é o nosso viver na igreja. Queremos ganhar toda riqueza de Deus? Basta-nos invocar o nome do Senhor e Deus nos dará toda a Sua riqueza, e Sua vida crescerá em nós.
Quando esteve com a igreja em Éfeso, João intensificou essa prática, ajudando-os a invocar mais o nome do Senhor. Invocar o nome do Senhor não é algo forçado, porém muito espontâneo. Estando no espírito, dizemos: “Jesus é o Senhor!”. No período posterior do apóstolo João, quando servia na igreja em Éfeso, os santos já suportavam provas por causa do nome do Senhor. Assim ele conseguiu levá-los para o Espírito, e no espírito ganharam vida. Graças ao Senhor!
Devemos ressaltar mais uma vez que precisamos tomar a Palavra do Senhor no Espírito, não como doutrina, mas como alimento. Ter a Palavra como doutrina é ter o lógos, faltando, porém, o falar pessoal do Senhor a nós de modo vivo. Quando João foi para Éfeso “consertou as redes”, auxiliando-os para que toda a doutrina se tornasse na palavra viva do Senhor.
Em João 6:63 o Senhor Jesus nos diz: “O Espírito é o que vivifica”. Quando invocamos o nome do Senhor, estamos no Espírito e temos vida. Agora falta-nos a Palavra do Senhor como provisão de vida para que a vida divina em nós cresça e possamos expressar o Pai como filhos maduros.

Anúncios

A Luz da Vida

“Ao nascermos da luz, que é Cristo, nos tornamos filhos da luz, e não podemos admitir nenhuma treva em nós, nenhum pecado, nenhum sentimento ou desejos malignos. Como filhos da luz devemos andar e agir na luz, buscando sempre o que é agradável ao Senhor ( Efésios5:8-10). Não podemos ser cúmplices das obras das trevas, pelo contrário, devemos reprová-las, pois apenas mencionar o que os pecadores fazem já é vergonhoso (vs.11,12). Tudo o que é colocado sob a luz torna-se exposto, é manifestado por Deus. Por exemplo, se você for reprovado ou criticado por alguém, não importando se essa pessoa tenha ou não razão, não se desculpe nem se justifique, mas vá ao Senhor e pergunte-Lhe:”Senhor, eu sou realmente aquilo que disseram de mim? Senhor, eu dei razão para que falassem aquilo?” Isso fará com que a luz de Deus brilhe sobre você. Se Deus indicar que o que foi dito de você é verdade, esse será o momento de arrepender-se e ser purificado pelo sangue de Jesus. Mas se a luz não reprovar nem condenar você, isso será ainda melhor, pois essa situação de crítica levou você a, uma vez mais, ir ao Senhor e ter comunhão com Ele. Portanto, sempre que formos atribulados, sempre que passarmos por sofrimento ou aflição, devemos buscar a luz de Deus. Se sofremos por causa de pecados, arrependemo-nos; se é uma provação permitida por Deus, devemos louvá-Lo e Nele esperar o livramento”

(Dong Yu Lan)

O fundidor e purificador de prata.

PURIFICADOR

Esse versículo bíblico intrigou umas mulheres de um estudo bíblico e elas ficaram pensando o que essa afirmação significava em relação ao caráter e a natureza de Deus.

Uma delas ofereceu-se para descobrir sobre o processo de refinamento da prata para o próximo estudo bíblico. Naquela semana, a mulher ligou para um ourives e marcou um horário para assistí-lo trabalhar. Ela não mencionou a razão do seu interesse e só disse estar curiosa para conhecer o processo. Ela foi assistí-lo. Ele pegou um pedaço de prata e o segurou sobre o fogo, deixando-o esquentar.

Ele explicou que, no refinamento da prata, é preciso que segure-se a mesma bem no centro da chama, onde é mais quente e queima-se as impurezas.
A mulher pensou sobre Deus, que às vezes, segura-nos em situações ‘quentes’ e pensou novamente no versículo: ‘E assentar-se-á como fundidor e purificador de prata…’

Ela perguntou para o artesão se ele tinha mesmo que ficar sentado o tempo todo na frente do fogo enquanto a prata estava sendo refinada.
Ele disse que sim; que não somente ele tinha que ficar lá, segurando a prata, mas que ele tinha que, também, manter seus olhos na mesma o tempo todo que ela estivesse nas chamas. Se a prata ficasse um minuto a mais no fogo, seria destruída.

A mulher ficou em silêncio por um momento. Então, ela perguntou: ‘Como você sabe quando a prata está totalmente refinada?’
Ele sorriu e disse: ‘Ah, isso é fácil… É quando eu vejo minha imagem nela.’

Se hoje você está sentindo o calor do fogo, lembre-se que os olhos de Deus estão sobre você e que Ele vai ficar cuidando de ti até que Ele veja Sua imagem em você.

Jornal Árvore da Vida

Somos filhos da Luz.

TEMPO

“Ao nascermos da luz, que é Cristo, nos tornamos filhos da luz, e não
podemos admitir nenhuma treva em nós, nenhum pecado, nenhum sentimento
ou desejos malignos. Como filhos da luz devemos andar e agir na luz,
buscando sempre o que é agradável ao Senhor ( Ef 5:8-10). Não podemos
ser cúmplices das obras das trevas, pelo contrário, devemos reprová-las, pois apenas mencionar o que os pecadores fazem já é vergonhoso (vs.11,12). Tudo o que é colocado sob a luz torna-se exposto, é manifestado por Deus. Por exemplo, se você for reprovado ou criticado por alguém, não importando se essa pessoa tenha ou não razão, não se desculpe nem se justifique, mas vá ao Senhor e pergunte-Lhe:”Senhor, eu sou realmente aquilo que disseram de mim? Senhor, eu dei razão para que falassem aquilo?” Isso fará com que a luz de Deus brilhe sobre você. Se Deus indicar que o que foi dito de você é verdade, esse será o momento de arrepender-se e ser purificado pelo sangue de Jesus. Mas se a luz não reprovar nem condenar você, isso será ainda melhor, pois essa situação de crítica levou você a, uma vez mais, ir ao Senhor e ter comunhão com Ele. Portanto, sempre que formos atribulados, sempre que passarmos por sofrimento ou aflição, devemos buscar a luz de Deus. Se sofremos por causa de pecados, arrependemo-nos; se é uma provação permitida por Deus, devemos louvá-Lo e Nele esperar o livramento”
Dong Yu Lan

Consolados para Consolar

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação;que nos consola em toda a nossa tribulação,para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus.(2 Coríntios)

BENDITO

Na maioria das vezes que o sofrimento bate à nossa porta ficamos sem entender as razões. Geralmente ficamos irritados e rejeitamos. Um filho de Deus deve encarar o sofrimento de outro jeito caso queria encontrar nele algum benefício. O apóstolo Paulo, que sofreu bastante por causa do evangelho, reagia bendizendo e exaltando o nome do Senhor. Ele sabia, de alguma maneira, que os sofrimentos provinham de um Pai misericordioso e que sabia exatamente aonde queria chegar.
Nós não somos filhos bastardos, filhos sem pai. Nós temos um Pai que, por nos amar, permite que passemos por determinados sofrimentos, a fim de mostrar nossa condição espiritual. Muitas vezes achamos que tudo está bem conosco; imaginamos que estamos fazendo a vontade de Deus, que estamos corretos em nossa posição, olhamos para o nosso serviço ao Senhor e nos orgulhamos por considerá-lo maravilhoso. Nosso coração também por vezes fica duro como uma pedra. se não fossem os sofrimentos que Deus permite em nossa vida para revelar nossa verdadeira condição, ficaríamos enganados.
Entretanto, aquele que abre a ferida é o mesmo que a vem untar. Sim, os sofrimentos podem resultar em choro, tristeza e angústia. Mas não nos esqueçamos de que temos o Deus da consolação. Ele é o pai amoroso que sempre vem enxugar as lágrimas e, o mais importante, Se acrescentar a nós. Se tivermos uma atitude correta com relação ao sofrimento, ele funcionará como uma chave que abre nosso ser para o Senhor entrar. E, quando Ele entra, podemos sentir o consolo, o suprimento e Seu grande amor nos transformando à imagem de Cristo.
Os melhores consoladores são aqueles que já foram consolados. É muito ruim falarmos de nossa dor e angústia para uma pessoa que demonstra não estar entendendo nada. Mas, se alguém foi provado com sofrimentos pelo Senhor e, em vez de lutar contra a situação, nega a si mesmo, busca a luz para descobrir o que o Senhor está falando e volta-se a Ele em comunhão, em oração, aceitando a disciplina, certamente essa pessoa experimentará o consolo do Senhor. É esse tipo de pessoa que pode ajudar outras. Os sofrimentos são um tipo de linguagem de Deus que só podemos decodificar no Espírito.

Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.

(Jornal Árvore da Vida nº 258)